Mó | fisioterapia

11 3562-0991 | 3562-2291 | Whatsapp: 11 97458-0531

7757-SP CREFITO-3/50691-F

Reabilitação do equilibro dos músculos da cintura escapular: Quais exercícios prescrever?

Rehabilitation of Scapular Muscle Balance: Which Exercises to Prescribe?

terça-feira, 21 de janeiro de 2014 - Por Ann M. Colls et.al

Segundo o artigo, profissionais especialistas relataram que as lesões (dores e disfunções) de ombro apresentadas, inicialmente é vista como uma lesão nos músculos que tem a função de estabilizar a articulação do ombro (articulação glenoumeral). Porém, através de estudos aprofundados, os especialistas observaram que essas lesões podem estar totalmente ligadas a alguma disfunção e/ou desequilíbrio dos músculos que compõem a cintura escapular.

A pesquisa foi realizada com 45 pacientes, sendo estes: 20 mulheres e 25 homens. Através de um eletromiógrafo, que tem a função de monitorar a atividade elétrica da fibras musculares, colocado nos músculos da cintura escapular propriamente ditos, que são os TRAPÉZIO FIBRAS SUPERIORES, TRAPÉZIO FIBRAS MÉDIAS, TRAPÉZIO FIBRAS INFERIORES e SERRÁTIL ANTERIOR. Após a inserção dos eletrodos em cada músculo, foi solicitado para os indivíduos que participaram da pesquisa executarem exercícios, como, “sujeito deitado em decúbito ventral com abdução de ombro (Prone shoulder abduction), flexão de ombro (Forward flexion), flexão de ombro em decúbito lateral (Forward flexion  in side-lying position), sujeito em pé e com o ombro elevado a 135° (High row), abdução horizontal (Horizontal abduction), abdução horizontal com rotação externa (Horizontal abduction  with external rotation), remada baixa 1(Low row 1), remada baixa 2 (Low row 2), decúbito ventral com extensão de ombro (Prone extension), remo em posição sentada (Rowing in sitting position), exercício escapular com rotação externa (Scaption with external rotation), rotação externa deitado de lado (Side-lying external rotation)  que pudessem recrutar a ação dos músculos que compõem a cintura escapular, dessa forma sendo possível verificar o momento de ação de cada músculo e a partir de então traçar um programa de tratamento e exercício que exija dos mesmos agora de uma forma isolada, mas que também tenha uma diminuição na ação do TRAPÉZIO SUPERIOR.

Foi visto que os principais exercícios deveriam ser executados com uma posição neutra. Com a ação dos músculos relacionados ao TRAPÉZIO SUPERIOR, cada exercício foi caracterizado de acordo com o índice de ação do trapézio superior da seguinte forma: três subgrupos - 100% a 80% (moderado), 80% a 60% (bom) e <60% (excelente), ou seja, quanto menor a afinidade dos músculos relacionados ao trapézio superior, na execução de cada exercício, mais efetivo será esse exercício para o programa de tratamento. Quatro dos doze exercícios, segundo o artigo, foram efetivos, pois apresentaram excelente ação de forma isolada, portanto com pouca relação com TRAPÉZIO SUPERIOR, exceto o músculo SERRÁTIL ANTERIOR, que não foi possível ter uma ação de forma isolada, promovendo, portanto o reequilíbrio dos músculos que compõem a cintura escapular.

Confira o artigo completo no link abaixo:

Download PDF
« Voltar