Mó | fisioterapia

11 3562-0991 | 3562-2291 | Whatsapp: 11 97458-0531

7757-SP CREFITO-3/50691-F

Biomechanical overload syndrome: defining a new diagnosis

Síndrome da sobrecarga Biomecânica ( Síndrome Compartimental) - definindo um novo diagnóstico

sexta-feira, 11 de abril de 2014 - Por Andrew Franklyn-Miller,1-3 Andrew Roberts,2 David Hulse,2 John Foster2

Síndrome da sobrecarga Biomecânica ( Síndrome Compartimental) - definindo um novo diagnóstico

            A síndrome compartimental foi descrita pela primeira vez em 1956 e até hoje não se descobriu muito mais sobre sua fisiopatologia.

            Suposições sugerem que o aumento da pressão subfascial e intramuscular leva a uma hipóxia ou isquemia, que provoca dor e diminuição do fluxo sanguíneo. Mas não encontraram evidências de dano celular por hipóxia ou por diminuição da perfusão capilar. Ou a hipertrofia pode diminuir o espaço da fáscia somado a pequenos períodos de relaxamento, causando a síndrome.

            A grande questão é como reabilitar. Inicialmente o critério era por diferença de pressão intramuscular, mas essa pressão é variável de acordo com a profundidade do vaso avaliado, tipo de exercício e de medição. Outro fator é que esse critério apenas serviria para compartimento anterior de MMII, mas a síndrome já foi observada em compartimento posterior de MMII, pé e antebraço, onde não há critérios de pressão estabelecidos para diagnóstico.

            De diagnóstico complicado e diferenciado, a síndrome compartimental foi observada em atletas de alta performance, militares e não atletas. Ocorrem aproximadamente 100 encaminhamentos por ano para medição de pressão intramuscular com recomendação para fasciotomia, tratamento que demonstra bons resultados a curto prazo, mas que não possui medições objetivas a longo prazo e é altamente não recomendado quando a fisiopatologia e o diagnóstico não foram confirmados.

            Uma técnica pobre na corrida provoca fadiga precoce em músculos específicos que podem ser acometidos pela sobrecarga biomecânica. A alteração nas características da corrida proposta pelo estudo resultou em diminuição na sobrecarga dessa musculatura. A busca pela resolução dos sintomas deve continuar nos próximos estudos sobre essa síndrome ainda desconhecida.

Confira o artigo completo no link abaixo:

Download PDF
« Voltar