Mó | fisioterapia

11 3562-0991 | 3562-2291 | Whatsapp: 11 97458-0531

7757-SP CREFITO-3/50691-F

Ruptura do lábio do acetábulo: Desafios no exame e diagnóstico

quinta-feira, 24 de julho de 2014 - Por RobRoy L. Martin, PT, PhD, CSCS1 Keelan R. Enseki, PT, MS, ATC, SCS, CSCS2 Peter Draovitch, PT, MS, ATC3 Talia Trapuzzano, DPT, ATC, CSCS4 Marc J. Philippon, MD5

O presente artigo é uma revisão baseada em evidências. Seu interesse é em disfunções musculoesqueléticas de quadril com evolução para artroscopia.

            A ruptura do lábio do acetábulo pode ocorrer por frouxidão ligamentar, choque femuroacetabular (FAI), displasia do acetábulo e lesões condrais. Nas patologias de quadril, os sinais, sintomas e limitações funcionais não são totalmente compreendidos. Sua apresentação clínica dificilmente vem isolada de outras lesões.

            O lábio do acetábulo tem funções parecidas com os meniscos e com o lábio glenoidal: aumenta a estabilidade articular, diminui a força transmitida para a cartilagem, oferece um feedback proprioceptivo e inervação como fonte de dor. A estabilidade da articulação está relacionada com a fossa do acetábulo – quando anormal, pode ocorrer stress na cápsula e no lábio. O lábio funciona como um selo: mantém a pressão intra-articular negativa.

            A lesão pode ocorrer em uma ou mais estruturas que dão suporte e circunvizinhas a cápsula articular: ligamentos pubo, ísquio e iliofemural, ligamento redondo, cartilagem articular, trocânter maior, cabeça do fêmur.             

O mais importante é o histórico e exame clínico, observando os sintomas com dor, bloqueio, instabilidade, estalos, rigidez, dor em virilha, região glútea, lateral do quadril, coxa. Pode ocorrer sobreposição de outras lesões no quadril e é necessário realizar uma triagem de coluna lombo sacra, avaliação de lesões intra e extra capsulares.

A seguir, uma tabela com sintomas comuns e exames clínicos associados com fontes de dor intra e extra capsulares:

 

Sintomas comuns

Exames clínicos

Patologia extra articular

-Dor superficial na virilha, lateral ou posterior de quadril

-Estalo anterior ou lateral

-Sensibilidade a palpação

-Dor em alongamento e/ou resistência das estruturas envolvidas

Patologia intra articular

-Dor na virilha

-Estalo, instabilidade

-Dor na virilha/limitação da ADM no teste de FABER

-Dor na virilha e/ou estalo no teste de Scour

-Dor na virilha com o teste de levantar a perna em extensão

Choque femuroacetabular

-Dor em pinçamento anterior quando sentar

-Dor em pinçamento com o teste de impacto

 

Mudanças degenerativas

-Dor medial em coxa

-Sensibilidade ao acordar

-Dor e/ou limitação na ADM em rotação interna

-Limitação da ADM em flexão

Frouxidão capsular

-Instabilidade

-Hipermobilidade geral segundo a escala de Beighton

-Aumento da ADM em rotação externa no teste de rolamento da perna

-Aumento de movimento e/ou apreensão com eixo maior de distração femural

 

           

            

Confira o artigo completo no link abaixo:

Download PDF
« Voltar